quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

Em semana nacional de mobilização, governador do RS se cadastra como doador de medula óssea


Para marcar a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, entre 14 e 21 de dezembro, o governador Eduardo Leite se cadastrou, na manhã desta quarta-feira (16/12), no Palácio Piratini, como doador no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

"Muitas vidas dependem da possibilidade de encontrar um doador compatível para o transplante de medula. Por isso, hoje, o cidadão Eduardo Leite toma essa medida de fazer o cadastramento neste banco de dados para doadores voluntários de medula óssea. Peço a todos aqueles que também puderem fazer, que o façam, que se apresentem, deem sua colaboração e que ajudem a salvar vidas", disse Leite.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, ressaltou a necessidade de falar do assunto, a fim de disseminar a informação. “Temos hoje 183 pessoas com doenças, como leucemia, aguardando um doador compatível de medula óssea para transplante”, afirmou a secretária.  

Para se cadastrar no Redome, basta ir a um dos oito hemocentros da rede estadual, doar 5ml de sangue e preencher corretamente os dados cadastrais. Caso seja atestada a compatibilidade para a doação de medula óssea com um paciente que precise transplante, a pessoa será chamada para, de fato, realizar a doação.

Arita destacou também a importância de manter as informações pessoais atualizadas no banco de dados, por meio do site redome.inca.gov.br, ou presencialmente, em qualquer hemocentro da rede estadual.

De acordo com o presidente do Instituto Pietro, o ex-deputado federal Beto Albuquerque, há 78 doenças passíveis de cura por meio de transplante de medula óssea, que acometem cerca de 12,5 mil pessoas por ano no país. “Destes, cerca de 60% tendem a precisar de transplante e a probabilidade de encontrar um doador compatível não-familiar é de 1 para 100 mil. Por isso, quanto mais pessoas estiverem cadastradas, com os dados atualizados no banco de dados, mais fácil será salvar uma vida.”

Redome

O Brasil tem mais de 5,2 milhões de doadores cadastrados e o Rio Grande do Sul atinge 359.758 pessoas cadastradas.

Para ser doador, a pessoa precisa ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde. Para se cadastrar basta levar documento de identidade e preencher o formulário, quando serão colhidos 5 ml de sangue para o teste de compatibilidade com pessoas que necessitam de transplante de medula.


Texto: Marília Bissigo/Ascom SES/ Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini



segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

XII SEMANA DE MOBILIZAÇÃO NACIONAL PARA DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA


Hoje, 14 de dezembro, começamos a XII Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Ossea, conforme prevê a Lei 11.930/2009, conhecida como Lei Pietro.

Você é nosso convidado a ir a Hemocentro e se cadastrar. 

Tira 5ml de sangue e preenche o cadastro com teu dados pessoais. 

Pronto, você é um candidato a doador de medula e a salvar vidas.

Teus dados irão para o REDOME que está sediado no Instituto do Câncer, INCA, no RJ. 

Se algum paciente for geneticamente compatível com você, então serás chamado pelo SUS para doar a medula.

A medula óssea é o sangue que temos no cordão umbilical quando nascemos! 

Depois de adulto pode ser retirada por aférese como se fosse uma doação de sangue.  

Não tem nada a ver com a coluna vertebral! 



sábado, 19 de setembro de 2020

Dia Mundial do Doador de Medula Óssea

 (19 de setembro) é celebrado em vários países do mundo com o objetivo de agradecer ao doador pelo seu ato de solidariedade. 

O REDOME hoje conta com mais de 5 milhões de doadores cadastrados que fazem parte de uma rede mundial de 37 milhões, sendo o terceiro maior registro do mundo. 

No Brasil, o mês de setembro é usado pelo REDOME para, além de agradecer, lembrar aos seus doadores sobre a importância da atualização de cadastro, o que permite localizar um doador compatível de forma mais rápida. 

Atualize seu cadastro em: redome.inca.gov.br/doador

 #wmdd2020



quinta-feira, 6 de agosto de 2020

 IPietro lança campanha em parceria com os centros de formação de condutores do RS


O Instituto Pietro e os Centros de Formação de Condutores – CFCs de todo o Rio Grande do Sul, lançaram hoje (5), no Dia Nacional da Saúde, a campanha “Seja Solidário. Vá ao Hemocentro. Doe sangue. Doe Medula Óssea”. Trata-se de um conjunto de ações de mobilização e conscientização para a necessidade sempre urgente da doação de sangue e medula óssea.

Na campanha estão previstas peças publicitárias para mídia externa, com  anúncios em busdoor e outdoor, abrangendo a capital e a região metropolitana, e também a distribuição de folders explicativos sobre o processo de doação, que será realizada através dos centros de formação de todo o Estado que hoje recebem em torno de 72 mil pessoas diariamente.

O presidente do IPietro, Beto Albuquerque, destaca que a parceria pretende promover uma maior conscientização e mobilização da sociedade para a necessidade de agir, de ter empatia e ainda mais solidariedade neste período de pandemia. “É um convite à solidariedade e à atitude de ajudar a salvar vidas neste momento complexo de Covid 19 e de tantas outras doenças que seguem acontecendo com milhares de pessoas. Os transplantes também continuam e está faltando sangue”. Beto alerta ainda que, ao se dirigirem aos hemocentros para a coleta de sangue, os doadores podem já se cadastrar como doadores de medula. “É um gesto duplamente digno e de grande relevância.

terça-feira, 30 de junho de 2020

Doação de EPIs para os Hospitais de Passo Fundo



Em homenagem, respeito, solidariedade e gratidão aos profissionais de Saúde que estão na linha de frente no combate ao Covid nas UTIs dos hospitais HSVP - Hospital São Vicente de Paulo e Hospital de Clínicas de Passo Fundo, o presidente do IPietro, Beto Albuquerque, realizou a doação de 150 kits de equipamentos de segurança, contendo macacão, máscara e protetor facial. Foram 75 kits para cada hospital.   

“É uma forma simples, modesta, diante das reais necessidades, mas muito verdadeira de retribuir o trabalho destes guerreiros incansáveis que estão salvando vidas e muitas vezes sendo contaminados pelo vírus", disse ao agradecer o apoio do Saul Spinelli que representou o Instituto Pietro na entrega.

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Instituto Pietro fecha mais uma parceria para ajudar 
Casas de Apoio




O Instituto Pietro fechou mais uma parceria importante para ajudar as casas de apoio. Desta vez, a união de esforços entre o IPietro, o Conselho Regional de Representantes Comerciais (Core), através do seu presidente, Roberto Salvo, e a empresa Girando Sol, resultou na doação de materiais de limpeza e higiene para a Casa de Apoio Madre Ana.

A Casa de Apoio Madre Ana proporciona um acolhimento digno a pacientes pediátricos e adultos portadores de câncer, transplantados, com problemas cardíacos, dentre outros, juntamente com seus acompanhantes vindos do interior do Estado e de outros estados brasileiros. São pessoas de baixa renda que necessitam de um suporte integral durante o período do seu tratamento na Santa Casa.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

IPietro fecha parceria com a LBV para 
doação de cestas básicas


O Instituto Pietro deu início nesta quinta-feira (14) a uma importante parceria de solidariedade com a LBV Brasil. A partir de agora, mensalmente, serão doadas 100 cestas básicas para as casas de apoio a familiares e pacientes em tratamento de câncer e transplantados de órgãos, tecidos e medula da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Madre Ana, e do Hospital de Clinicas de Porto Alegre, HCPA. 

Neste momento peculiar que vivemos, atos assim fazem toda a diferença. O IPietro é prova de que ações do bem aquecem os corações e acalmam a alma, ainda mais em pacientes e familiares já vivenciando angústias por enfermidades. Hoje o presidente do IPietro, Beto Albuquerque, fez a entrega das doações deste mês. “Buscamos todos mais amor e solidariedade diante desta grave crise sanitária.”

quarta-feira, 22 de abril de 2020



Estamos felizes com esta luta que já salvou muitas vidas! Parabéns e obrigado a todos que estão com a gente nesta causa da vida! Beto Albuquerque, autor da Lei Pietro  #SejaDoadorDeMedula #VaNoHemocentro #DoeSangueTambem
A Jaqueline é de Paverama no RS. Já foi localizado seu doador 100% e agora ela aguarda encontrar o melhor momento de condicionamento pra fazer seu transplante. Mais uma guerreira vitoriosa, se Deus quiser. Ela tem um recado pra gente.


quarta-feira, 18 de março de 2020



18 DE MARÇO DE 2020: UM ANO DO INSTITUTO PIETRO


Hoje, meu filho Pietro completaria 31 anos. A festa não é possível porque uma leucemia lhe tirou a vida em fevereiro de 2009. Desde então, empreendemos uma luta para salvar vidas. Em dez anos, cadastramos milhões de novos doadores de medula, interligamos o REDOME - Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea do Brasil, aos bancos europeus e americanos. Hoje, já somos mais de 5 milhões em todo o Brasil. Para cada caso de leucemia no nosso país, temos 35 milhões de doadores que podem ser compatíveis. Uma grande vitória.

No ano passado, em 2019, neste mesmo dia 18 de março, criamos o Instituto Pietro. A ideia era ter uma instituição formal para que, junto aos governos, entidades e hospitais, pudéssemos trabalhar pelo aumento do número de leitos para a realização de transplantes. Nesse momento, temos muitos gargalos. Dois principais: a falta de vagas em casas de apoio a familiares e pacientes e, principalmente, a falta de eleitos. Acreditem, temos muitos pacientes com doadores compatíveis já identificados, mas sem possibilidade de realizarem os transplantes por falta de leitos hospitalares. E esta dificuldade vem de muito antes da crise do coronavírus.

Com um ano de atividades, o Instituto Pietro seguiu enfrentando os problemas e buscando o diálogo e a solidariedade junto à sociedade. Aqui destacamos pra ti, as ações realizadas durante este ano. Confira!


MARÇO - CRIAÇÃO DO INSTITUTO PIETRO



terça-feira, 10 de março de 2020

Mais leitos para transplantes no RS



O presidente do IPietro, Beto Albuquerque, reuniu-se nesta terça-feira (10) com a coordenadora da Central dos Transplantes do RS, Dra. Sandra Coccaro. Na pauta a necessidade de mais leitos para fazer transplantes de medula e a organização e controle dos tratamentos de leucemias nos hospitais do Estado para melhor previsão de necessidade de leitos.
Beto explicou que serão realizados encontros com médicos e hospitais do RS para tratar dos assuntos. “Hoje temos muitos pacientes com doador compatível mas sem leitos de hospital para fazer seu transplante. Isso é um absurdo”, criticou, ao informar que a boa notícia é que a Santa Casa e o Hospital Conceição já estão autorizados a começar a fazer transplantes. “Mais leitos e Mais oportunidades”, comemorou.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Fevereiro Laranja




🧡 O Fevereiro Laranja é o mês de combate à Leucemia, tipo de câncer que acomete os leucócitos (glóbulos brancos), os quais começam a se reproduzir de maneira descontrolada, dando início aos primeiros sinais da leucemia. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), estima-se mais de 10 mil casos em 2018.
Conheça abaixo os diferentes tipos de Leucemia:
– Leucemia linfóide crônica: afeta células linfóides e se desenvolve vagarosamente. A maioria das pessoas diagnosticadas com esse tipo da doença tem mais de 55 anos. Raramente afeta crianças;
– Leucemia mielóide crônica: afeta células mielóides e, normalmente, se desenvolve vagarosamente. Acomete principalmente adultos;
– Leucemia linfóide aguda: afeta células linfóides e agrava-se rapidamente. É o tipo mais comum em crianças, mas também ocorre em adultos;
– Leucemia mielóide aguda: afeta as células mielóides e avança rapidamente. Ocorre principalmente em adultos em torno de 60 anos. Mas também pode ocorrer em crianças.
Anemia, palidez, sonolência, fadiga, palpitação, sangramentos na gengiva e nariz, manchas roxas na pele ou pontos vermelhos são alguns dos sintomas da Leucemia. Além destes sintomas, podem surgir gânglios linfáticos inchados, perda de peso sem motivo aparente, febre alta contínua, desconforto abdominal e dor nas articulações e nos ossos.
É essencial uma avaliação médica e, por meio da coleta de medula óssea, a realização de exames específicos para um diagnóstico mais preciso da doença.
Para o tratamento é necessário destruir as células leucêmicas para que a medula óssea volte a produzir células normais. Neste processo, estão associadas a adoção de medicamentos, controle das complicações infecciosas e hemorrágicas e prevenção ou combate da doença no Sistema Nervoso Central (cérebro e medula espinhal). O transplante de medula óssea é indicado após a doença ser controlada.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

ICDF realiza solenidade de mobilização para doação de medula óssea




O Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), um dos centros que realiza o transplante não aparentado com doador do REDOME, comemorou a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea (14 a 21 dezembro), com uma solenidade, no dia 17, para apresentar os resultados da unidade de transplante e lançar a campanha #DoeVidaEmVida #DoeMedula.
A campanha teve como objetivo a conscientização para o cadastro do doador de medula e a importância da atualização do doador já cadastrado. A instituição divulgou vídeos e informativos sobre o tema nas redes sociais e decorou a unidade de transplante com gotas vermelhas para simbolizar os pacientes transplantados.
A solenidade contou com a presença da coordenadora geral do Sistema Nacional de Transplante (SNT) do Ministério da Saúde, Daniela Salomão, e do ex-deputado federal e autor da Lei Pietro, Beto Albuquerque. As autoridades visitaram a unidade e acompanharam a alta hospitalar de um paciente transplantado. Daniela Salomão (SNT) foi homenageada pela dedicação ao transplante no país e as equipes médicas da unidade, pelo trabalho de reestruturação e treinamento que deram continuidade ao programa de transplante de medula no Distrito Federal.
A superintendente do ICDF, Núbia Vieira, finalizou o evento com a apresentação dos resultados. A unidade realizou 69 transplantes (autólogo, aparentado e não aparentado) em 2019, 416 desde o início do programa e 50 coletas de doadores do REDOME. Segundo Núbia: “Sem os doadores, esse projeto de salvar vidas, não seria possível”.
Instituída através da Lei nº 11.930, de 22 de abril de 2009, também conhecida como “Lei Pietro”, a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea é uma homenagem ao filho do ex-deputado Beto Albuquerque, que faleceu de leucemia, e é considerada por especialistas de fundamental importância para lembrar a população de que doar é simples e o cadastro no REDOME é feito de forma rápida e indolor. O incentivo para a sua criação veio da necessidade de esclarecimento sobre a importância da doação e do transplante de medula óssea. 
Fonte Redome/Foto Humberto Pradera

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019


Pelotas terá campanha de cadastramento de doadores de medula óssea nesta quinta-feira (19)


Dentro das atividades da Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, que acontece até o próximo dia 21 de dezembro,o Instituto Pietro – Doe Medula em parceira com o Hemocentro Regional de Pelotas, promove nesta quinta-feira (19), atividade de conscientização e cadastro de novos possíveis doadores de medula, em Pelotas. A ação, que contará com o presidente do IPietro e autor da Lei federal que instituiu a Semana, ex-deputado federal Beto Albuquerque, acontece a partir das 14h no salão paroquial da Igreja Sagrado Coração de Jesus – Rua Gomes Carneiro, 1302.

Na oportunidade, Beto Albuquerque fará uma palestra sobre a doação de medula óssea, cadastros e transplantes. Logo após, estará à disposição da imprensa no local.

ICDF comemora transplantes de medula óssea



Nesta terça-feira (17), em Brasília, o presidente do IPietro, Beto Albuquerque, participou de mais um evento da programação da Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, que acontece até o próximo dia 21 dezembro. “Foi dia de celebrar os 416 transplantes de medula realizados, desde 2014, na Unidade Pietro Albuquerque no Instituto de Cardiologia do DF, ICDF”, destacou Beto. Só neste ano foram 69 transplantes.

Na oportunidade Beto agradeceu o trabalho da direção do Hospital, em especial a Dra. Nubia e o Dr. André, os hematologistas Volney e André, os médicos, enfermeiros e funcionários do ICDF. “Igualmente foi uma alegria ter a presença da Dra. Daniela, da Central Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde. Mas muito importante foi ver e abraçar a dona Maria e o Kelson que estão dando alta depois de meses do tratamento e transplante”, comemorou.



Inaugurada em 2014, a Unidade Pietro Albuquerque foi construída para atender a demanda de pacientes com indicação para o transplante de medula óssea (TMO) no Centro-Oeste. O nome foi escolhido em homenagem ao filho do líder, Beto Albuquerque (RS), que faleceu em fevereiro de 2009, vítima de leucemia mieloide aguda, após 13 meses de luta contra a doença. Dados recentes da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos – ABTO – revelaram que o Instituto de Cardiologia do DF ocupou a primeira colocação no ranking de transplante de medula óssea na categoria “por milhão de habitantes”.

Como doar medula óssea?
Para doar é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Em seguida, procure o Hemocentro do seu estado e se cadastre como doador voluntário. É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos hemocentros nos estados.

IPietro leva informações sobre doação de medula 
ao Natal Arte e Luz de Cachoeirinha 



Dentro das atividades da Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, o Instituto Pietro participou no domingo (15), do Natal Arte e Luz, de cachoeirinha, no Rio Grande do Sul. Durante a ação, que contou com a participação de uma equipe de voluntários e sócios-fundadores do Instituto, houve distribuição de balões para as crianças e panfletos. "Falamos com as pessoas e distribuímos materiais que esclarecem o que é medula óssea, como se cadastrar e aonde", destacou o presidente do IPietro e autor da Lei que instituiu a campanha, Beto Albuquerque.



Beto fez um agradecimento especial a Prefeitura de Cachoeirinha, por meio do prefeito Miki Breier, a Associação do Comércio Lojista, organizadores e patrocinadores do evento pela oportunidade de levar a mensagem da vida ao evento de Natal no ginásio da Fátima.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

XI Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea começa na capital gaúcha com atividade na Orla do Gasômetro




Com entusiasmo e emoção, o Instituto Pietro-Doe Medula abriu a XI Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, que acontece de 14 a 21 de dezembro, com uma atividade de conscientização na orla do Gasômetro, em Porto Alegre. Com a presença do presidente do IPietro e autor da Lei que institui a Semana, Beto Albuquerque, a atividade contou com a distribuição de material informativo sobre como se tornar um doador de medula óssea. "Apostamos muito no diálogo e na informação para captar novos doadores. Hoje já ultrapassamos os cinco milhões de cadastrados no Redome (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea). Este número com certeza traz mais esperança para quem depende de um transplante para viver", comemora.

Neste ano, o Instituto Pietro – Doe Medula fechou uma parceria com o empresário Edemir Simonetti, proprietário do Chalé da Praça XV e do 360 Gastro Bar em prol da doação de medula óssea. De 14 a 21 de dezembro, quem for aos restaurantes poderá contribuir voluntariamente com qualquer valor para a causa, além de receber informações de como ser um doador de medula.




Atualmente, quase 5 milhões de pessoas estão cadastradas no país como doadores, mas é um número inferior à demanda. Para ser doador, basta procurar o hemocentro mais próximo, ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde. É necessário levar documento de identidade oficial com foto e preencher um formulário. No ato do cadastro, são coletados cinco mililitros de sangue para análise do código genético de compatibilidade, chamado de HLA (histocompatibilidade). O resultado do exame fica armazenado no Redome.

Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. Se a compatibilidade for confirmada, a pessoa será consultada para decidir sobre a doação.  O cadastrado pode ser chamado para realizar a doação até os 60 anos de idade.
Jornal Zero Hora, edição 13/12/019: 

Somos quase 5 milhões de doadores

Em dezembro de 2007 fui surpreendido pela notícia que meu filho Pietro estava com Leucemia. Era necessário um transplante de medula. Para tanto, precisávamos de um doador compatível com ele. Não conseguimos. Éramos somente 750 mil doadores cadastrados no Brasil. Durante nossa luta, como deputado federal, apresentei o projeto de lei para instituir a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. O Pietro não encontrou um doador e morreu em fevereiro de 2009. Um dia após a sua perda, foi sancionada a Lei que institui a semana entre os dias 14 e 21 de dezembro para ações de conscientização e mobilização. A luta pela vida não podia parar.

Desde então, anualmente, muitas pessoas, entidades e governos no Brasil todo se envolvem na causa, mobilizando a sociedade sobre cadastro, doação e transplante de medula. Neste ano, chegamos a XI Semana de Mobilização Nacional para Doação de medula Óssea. Avançamos muito, quebrando a barreira da desinformação e do medo que ainda impedia muita gente de tomar a iniciativa de realizar este ato de solidariedade a quem precisa de ajuda para continuar vivendo.

A realidade é dura e exige a solidariedade de todos, afinal temos no Brasil cerca de 10.800 casos novos de leucemias todos os anos e pelo menos para metade destes pacientes a vida está num transplante de medula.

A boa notícia a ser comemorada é que neste momento estamos chegamos a cinco milhões de doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores, REDOME. A qualificação do nosso banco permitiu estabelecer relação e vínculo com todos os bancos de doadores de medula dos Estados Unidos e da Europa.  Portanto, somados os doadores brasileiros, americanos e europeus hoje somos 34 milhões de doadores no mundo dispostos a salvar vidas.

Um exército mundial de voluntários e amigos da vida!

Com o aumentou do número de doadores aumentou também o número de transplantes de medula no Brasil. Muitos seguem vivos graças a esta mobilização solidária, voluntária e consciente de quem vai no hemocentro e se cadastra pra ser um doador de medula.

Se você já é um doador atualize seus dados em redome.inca.gov.br/doador, mas se você ainda não é, vá até um hemocentro e faça seu cadastro. É fácil, você tira até 8 ml de sangue, preenche teus dados pessoais e se soma aos milhões de anjos já cadastrados.

A solidariedade não tem preço e fiquem certos de que doar medula salva vidas!

Beto Albuquerque
Presidente o Instituto Pietro, IPietro.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Mobilização na Orla do Gasômetro dá início a XI Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea




No próximo dia 14, tem início a XI Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. Até 21 de dezembro, serão realizadas diversas ações de incentivo ao cadastro da população no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), em todo o Brasil.

A campanha foi instituída pela Lei nº 11.930/09, de autoria do então deputado federal Beto Albuquerque (RS), que ficou conhecida como Lei Pietro, em homenagem ao seu filho que foi vítima de leucemia mieloide aguda e faleceu após 14 meses de luta contra a doença.

Em Porto Alegre, a abertura da Semana acontecerá na Orla do Gasômetro com a distribuição de materiais informativos e de conscientização sobre a importância do cadastramento de novos doadores. A concentração inicia a partir da 11h30, em frente ao 360 POA Gastro Bar.

Neste ano, o Instituto Pietro – Doe Medula, que tem Beto como presidente, fechou uma parceria com o empresário Edemir Simonetti, proprietário do Chalé da Praça XV e do 360 Gastro Bar em prol da doação de medula óssea. De 14 a 21 de dezembro, quem for aos restaurantes poderá contribuir voluntariamente com qualquer valor para a causa, além de receber informações de como ser um doador de medula.

Atualmente, quase 5 milhões de pessoas estão cadastradas no país como doadores, mas é um número inferior à demanda. Para ser doador, basta procurar o hemocentro mais próximo, ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde. É necessário levar documento de identidade oficial com foto e preencher um formulário. No ato do cadastro, são coletados cinco mililitros de sangue para análise do código genético de compatibilidade, chamado de HLA (histocompatibilidade). O resultado do exame fica armazenado no Redome.


domingo, 8 de dezembro de 2019


Capital gaúcha dá início a Semana de Doação de Medula Óssea



Porto Alegre deu início neste sábado (07), a Semana Municipal de Doação de Medula Óssea, que acontece até o próximo dia 14 de dezembro. O município foi a primeira capital brasileira a ter uma lei local, chamada Lei Matheus, com o objetivo de conscientizar sobre a importância da doação. As atividades na capital gaúcha antecedem a semana nacional, realizada na sequência, até 21 de dezembro. Além de sensibilizar a população em geral, os eventos buscam disseminar entre os municípios brasileiros a importância de definir ações para estimular a doação.


Com a semana local e a nacional em sequência, Porto Alegre terá 14 dias de atuação conjunta entre órgãos municipais, estaduais e federais para divulgar também o procedimento da doação, que se inicia com a extração de apenas 10 ml de sangue e o preenchimento de um formulário com informações do doador.

quinta-feira, 31 de outubro de 2019


Novo contrato do Hospital Universitário de Santa Maria com o Estado permite ampliar atendimentos




O Instituto Pietro, representado pelo presidente Beto Albuquerque, participou no dia 23 de outubro, em Santa Maria, da assinatura do contrato da Secretaria Estadual da Saúde com o Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), garantindo mais serviços para a comunidade da região Central do RS. "Na oportunidade, com apoio da secretária Arita Bergmann tratamos da reabertura do Transplante de Medula no HUSM. Precisamos de mais leitos para transplantes de medula no RS", destacou o presidente.

Referências
Além de atender em todas as especialidades os 32 municípios da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), com sede em Santa Maria, o HUSM é a referência para as 11 cidades da 10ª CRS (sede em Alegrete) em hemato-oncologia, traumatologia pediátrica e cirurgia de cabeça e pescoço. Na área de leucemia infantil, é referência para todo o Estado.

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Saúde firma parcerias com Instituto Pietro




Presidente do Instituto Pietro, o ex-deputado Beto Albuquerque esteve reunido nesta terça-feira (1) com a secretaria estadual da Saúde, Arita Bergmann, para tratar de assuntos relacionados ao tratamento de pacientes oncológicos.

Um dos temas abordados foi a abertura de leitos para transplantes de medula óssea. A secretária apontou a possibilidade de criação dessas vagas em hospitais cujo contrato está sendo negociado entre gestores e a Secretaria da Saúde (SES).

O instituto busca ainda a abertura de casas de apoio para acolher familiares de pacientes que estão em tratamento. Beto Albuquerque informou que o instituto tem listado prédios de propriedade do Estado que podem ser usados para essa finalidade, com apoio de entidades ou da iniciativa privada. A secretaria Arita destacou que "a ação é bastante significativa do ponto de vista do acolhimento". E apontou alguns caminhos dentro do Governo do Estado para que o projeto seja viabilizado, com apoio da sociedade civil, de entidades e de organizações.

Outra proposta do instituto é a centralização das informações sobre pacientes que estão em tratamento contra a leucemia. A ideia é criar uma espécie de telefone 0800 pelo qual seja notificada por profissionais a entrada de cada paciente em tratamento. A medida possibilita ter informações em tempo real sobre o número de pacientes em tratamentos contra leucemia e onde estão, bem como a entrada de novos. A medida agiliza a localização de doadores e facilita o próprio transplante.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019


MEDULA ÓSSEA
Ação de conscientização no Centro



Como parte das comemorações do Dia Mundial do Doador de Medula Óssea, celebrado no terceiro mês de setembro, o Instituto Pietro realizou no dia 19 de setembro uma ação de conscientização para ampliar cada vez mais o cadastro de doadores. A iniciativa contou com as presenças de voluntários da entidade que distribuíram material e conversaram com a população na Esquina democrática (Rua dos Andradas com a avenida Borges de Medeiros), no Centro Histórico de Porto Alegre. O presidente do Instituto Pietro, Beto Albuquerque, disse que uma das principais demandas é o auxílio às casas de apoio. Pacientes com câncer que precisam de transplante de medula esperam cerca de seis meses por um leito, o que pode ser fatal. O nome do instituto é uma homenagem a Pietro Albuquerque, filho do ex-deputado que faleceu em 2009, aos 19 anos, vítima de leucemia mieloide aguda.
IPietro: Preparando Doadores do Futuro




O encontro com estudantes da IMED e Escola Menino Jesus é uma das ações da Campanha de Conscientização para doação de sangue e medula óssea


O presidente do Instituto IPietro, Beto Albuquerque, palestrou nesta segunda-feira (16) para cerca de 200 alunos do 8º e 9º ano da Escola Notre Dame Menino Jesus, em Passo Fundo.

Informações sobre os tipos de leucemia, sintomas e tratamentos, como o transplante de medula, foram os assuntos abordados. Embora a idade mínima para ser doador de medula seja 18 anos, Beto destacou que "é preciso plantar a ideia agora para colher um doador consciente no futuro, daqui a 3 ou 4 anos". Ponderou, ainda, que o conhecimento da causa, das doenças, do funcionamento do cadastro e a importância da doação para salvar vidas são fundamentais nesta faixa etária. “Repassamos importantes informações para a formação da consciência solidária destas novas gerações. Eles são muito receptivos para estes temas. A nossa campanha por mais doadores é periódica e permanente”. A juventude se mostra cada vez mais consciente das questões sociais e ambientais”, ressaltou.

terça-feira, 10 de setembro de 2019


Câmara de Vereadores de Igrejinha promove evento para
tratar da doação de medula, órgãos e tecidos



Na quinta-feira (05), a Câmara de Vereadores de Igrejinha promoveu, em parceria com o Instituto Pietro, a palestra "Vida - A Importância da Doação de Medula, Órgãos e Tecidos", com o presidente do Instituto, Beto Albuquerque. O evento gratuito fez parte dos Projetos de Socialização da Oktober de Igrejinha, e visou esclarecer, conscientizar e mobilizar a sociedade sobre a importância do cadastro, da doação, dos tratamentos e dos transplantes de medula óssea.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019


IPietro convida governador Eduardo Leite para ser o 1º sócio voluntário



O governador do RS, Eduardo Leite, recebeu na tarde de hoje (04) integrantes da Direção do Instituto Pietro em audiência no Palácio Piratini. Na oportunidade, o presidente do IPietro, Beto Albuquerque, convidou o governador para ser sócio voluntário da instituição que tem como objetivo intermediar projetos e ações em prol da doação de medula óssea. Beto explicou que a primeira missão está sendo intermediar a construção de uma nova casa de apoio a familiares de pacientes transplantados, localizada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre e que, para isso, já conta com a parceria do Sinduscon/RS para fazer o projeto executivo da obra.

Leite garantiu que a instituição pode contar com o apoio do governo. “Como pessoa e como homem público, me sensibilizo com essa relevante causa”, reforçou. O governador também colocou a secretária da Saúde, Arita Bergmann, à disposição para conversas futuras.

Participaram da audiência a secretária da saúde do RS, Arita Bergmann, a coordenadora do Hemorgs,  Maristela Teixeira, e diversos sócios fundadores do IPietro entre eles, a deputada Franciane Bayer, o deputado Dalciso Oliveira, o jornalista e vice-presidente André Machado, o prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, e as transplantadas Fernanda Moreira e Aísha Shaun.

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

IPetro marca presença no XXIII Congresso da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea e no
XII Encontrodo REDOME


No dia 31 de julho, o Instituto Pietro, representado pelo presidente Beto Albuquerque, esteve presente no XIII Congresso da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea e no XII Encontro da Rede REDOME, realizados em Brasília (DF). O evento contou com a presença de autoridades nacionais e internacionais que debateram a modernização das técnicas para tornar o procedimento de transplante de medula cada vez mais seguro e como melhor tratar os pacientes.

quarta-feira, 24 de julho de 2019

IPietro fecha parceria com o SINDUSCON-RS para viabilizar Casa de Apoio no Hospital de Clínicas




Foi dado o primeiro passo para que o Hospital de Clínicas de Porto Alegre conte com uma nova Casa de Apoio para pacientes e familiares no pré e pós transplante de medula óssea e tratamentos de câncer.  Presidido pelo ex-deputado federal Beto Albuquerque, o Instituto Pietro – Doe Medula, realizou a primeira reunião formal com a presença do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul, (SINDUSCON-RS), representado pela vice-presidente Sandra Axelrud, a direção e a equipe técnica do Hospital de Clínicas, a fim de viabilizar o projeto. Na ocasião, o IPietro fechou parceria com o SINDUSCON, que fará o projeto executivo da obra.

quarta-feira, 17 de julho de 2019


Presidente do Instituto Pietro, Beto Albuquerque
palestra para alunos-soldados da Brigada Militar




O presidente do Instituto Pietro – Doe Medula, Beto Albuquerque, palestrou sobre a doação de medula óssea e os objetivos do Instituto para os alunos da Escola de Formação e Especialização de Soldados de Porto Alegre (EsEFES), coordenados pelo tenente-coronel Claudio de Azevedo Goggia, nesta quarta-feira (17), no auditório da Amrigs na Capital. Nos próximos dias 19 e 22 de julho será a vez dos 254 jovens soldados formandos realizarem o cadastro de doadores de medula no Hemocentro. “Fico muito feliz em ver estes jovens dando exemplo de solidariedade”.  

Nos meses de maio e junho o Hemocentro, com o apoio do IPietro, cadastrou centenas de alunos-soldados nos municípios de Esteio, Passo Fundo e Osório. “São policiais militares formandos voluntários, comprometidos com a vida, que estão se cadastrando para poderem contribuir mais, salvando vidas como potenciais doadores de medula!”, comemorou Albuquerque.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Alunos-soldados da Brigada Militar se tornam doadores de medula





Alunos-soldados da Escola de Formação e Especialização de Soldados de Osório (Esfes) passaram a integrar, na quinta-feira (4/7), o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), coordenado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). Dos 147 alunos-soldados da Esfes/Osório, 101 se tornaram doadores de medula ao terem uma amostra do sangue coletada. Alguns alunos-soldados já eram cadastrados.
Uma equipe do Hemocentro do Estado e o presidente do Instituto Pietro, Beto Albuquerque, estiveram na Esfes, em Osório, para realizar uma palestra e cadastrar doadores de medula óssea. O Instituto Pietro foi criado em março deste ano, em Porto Alegre, para dar suporte a pacientes com leucemia, aos transplantados e familiares, além de incentivar a pesquisa e apoiar hospitais transplantadores. Pietro, que dá nome ao instituto, era filho do ex-deputado federal Beto Albuquerque e faleceu em decorrência de leucemia em 2009.
O transplante de medula é indicado para pacientes acometidos de leucemia, linfomas, anemias graves e imunodeficiências congênitas, além de outras 70 doenças relacionadas aos sistemas sanguíneo e imunológico.
No Brasil, são identificados mais de 10 mil casos de leucemias por ano, e ocorrem em torno de 3,5 mil transplantes todo ano. As chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos do mesmo pai e da mesma mãe é de 25%. Quando não existe esse doador entre irmãos ou parente próximo, como os pais, há necessidade de procurar um doador compatível entre grupos étnicos semelhantes.
Como ser doador 
Atualmente, quase 5 milhões de pessoas estão cadastradas no país como doadores, mas é um número inferior à demanda, já que as chances de compatibilidade entre doadores e receptores é de uma em um milhão. Há 10 anos, o número de doadores era de 750 mil. Além de ter aumentado o número de interessados na doação, Redome agora está integrado aos bancos de doadores dos Estados Unidos e Europa, elevando para 34 milhões a quantidade de amostras cadastradas.
Para ser doador, é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade, boa saúde e não ser portador de doenças infecciosas ou hematológicas. O cadastrado pode ser chamado para realizar a doação até os 60 anos de idade.
O comandante da Esfes/Osório, major Aurélio da Rosa, que já é doador de medula, estimulou os alunos: “Vocês são PMs e doam a vida todos os dias para a sociedade, são jovens e saudáveis e podem se tornar doadores de medula para salvar mais vidas”, explicou.
A coleta de sangue para se tornar doador de medula pode ser feita em Porto Alegre no Hemocentro e nos hospitais de Clínicas, Conceição e Santa Casa.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Quarta-feira de incentivo a doação 
de medula óssea em Passo Fundo



Na manhã desta quarta-feira (19/06), o Instituto Pietro se fez presente no Curso de formação da Polícia Militar de Passo Fundo.
Com o apoio do Hemocentro, foi realizado o cadastro, no banco de medula óssea, de dezenas de jovens policiais formandos que no final de julho estarão nas ruas protegendo os gaúchos e gaúchas.
Promover e incentivar o cadastramento de jovens é importante para que possam ficar mais tempo disponíveis no Redome. Isso aumenta as chances de poder ser um doador e salvar vidas.
Para o presidente do IPietro, Beto Albuquerque, que fez palestra sobre a importância da doação de medula e os objetivos do Instituto, a juventude dá um grande exemplo de solidariedade. “São policiais militares formandos voluntários, comprometidos com a vida, que estão se cadastrando para poderem contribuir mais, salvando vidas como potenciais doadores de medula!”

sexta-feira, 31 de maio de 2019

❤️ No dia do desafio, o Instituto Pietro e o Hemocentro-RS realizaram o cadastramento como Doadores de Medula de alunos formandos da Brigada Militar. A atividade ocorreu na escola de formação de Esteio, no Rio Grande do Sul.
Agradecemos a solidariedade de todos estes jovens, homens e mulheres policiais militares que em julho estarão nas ruas das cidades do RS protegendo a vida todos os gaúchos. 🙏🏼




Conheça um pouco da história do Pietro e da luta para conscientizar as pessoas da importância da doação de medula.


terça-feira, 19 de março de 2019

Emoção e esperança marcaram a lançamento
do Instituto Pietro 





A noite de segunda-feira (18) foi marcada por muita emoção. No dia em que Pietro comemoraria 30 anos de vida, foi lançado, oficialmente, o Instituto Pietro, o IPietro. Idealizado e presidido por seu pai, Beto Albuquerque, o Instituto é composto por 55 sócios fundadores e tem como objetivo principal ajudar pacientes e famílias de portadores de doenças que necessitam de transplantes de medula. “O Instituto Pietro é realidade. Somos 55 associados fundadores. Um time que vai lutar pela vida, por mais doadores e transplantes de medula, mais pesquisa, apoio aos hospitais transplantadores, transplantados e familiares.  Pietro estaria completando 30 anos e o Instituto é o nosso presente para ele. Sua perda se transformou na luta de muita gente”.

O ato de fundação ocorreu no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. O ex-deputado federal Beto Albuquerque, destacou que o Instituto é resultado de uma luta que teve início em 2007, quando Pietro Albuquerque foi diagnosticado com Leucemia Mielóide Aguda. Pietro faleceu em 2009 e desde então Beto trabalha para aumentar o número de doadores de Medula Óssea cadastrados no REDOME e ajudar as famílias que passam pelo mesmo sofrimento. O primeiro passo foi a criação da Lei Pietro, que criou a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, que acontece anualmente entre os dias 14 e 21 de dezembro.

Entre os 55 sócios fundadores estão os médicos Fernando Antônio Lucchese (cardiologista), José Peixoto Camargo (pneumologista), João Gabbardo dos Reis (Ministro substituto da Saúde), Marcelo Capra (hematologista), os jornalistas André Machado e Roberta Salinet, prefeitos como Luciano Azevedo (Passo Fundo), Miki Breier (Cachoeirinha) e Leonardo Paschoal (Esteio), os deputados estaduais Franciane Bayer e Dalciso Oliveira, além de pesquisadores, representantes do Ministério Público, empresários, publicitários, acometidos pela doença e familiares,

Ao lado da diretora-presidente do Hospital de Clínicas, Nadine Clausell, Beto afirmou que o primeiro compromisso do Instituto Pietro será trabalhar para ampliar a Casa de Apoio do Hospital, que presta auxílio aos familiares de pacientes com câncer. Nadine saudou a iniciativa.  “Fico feliz em receber o Instituto e sentir a intensidade da emoção e o que vem pela frente. Beto transformou dor em vida e o Hospital de Clínicas só tem a agradecer a oportunidade”.


segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Como é Feita a Busca por um Doador


A doação de medula óssea pode ser aparentada ou não aparentada. No primeiro caso, o doador é uma pessoa da própria família, em geral um irmão ou um dos pais. Há cerca de 25% de chances de encontrar um doador compatível na família. Havendo um irmão totalmente compatível (100%) este será a primeira escolha para ser um doador. Caso contrário, inicia-se a busca de alternativas para a realização do transplante.
As informações dos pacientes que necessitam de transplante sem um irmão compatível são incluídas no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (REREME). Os doadores são cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Os dados dos dois registros são cruzados para verificar a compatibilidade entre pacientes e doadores. Essa busca é automática.
Assim que o paciente entra no REREME, cadastrado por seu médico, acontece a primeira tentativa de encontrar um doador. A partir daí, o próprio sistema refaz a busca, todos os dias. Um resultado preliminar aponta uma lista de possíveis doadores compatíveis. O médico assistente, junto com a equipe especializada do REDOME, analisa (dentre estes possíveis doadores) qual tem chance de ser mais compatível com o paciente. Na sequência, são feitos contatos com os voluntários e solicitados os exames complementares.
Paralelamente, acontece a busca na Rede BrasilCord, que contém os dados dos cordões umbilicais armazenados nos Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário. Caso não seja encontrado um doador brasileiro, a equipe do registro parte, então, para a busca internacional que ocorre praticamente de forma simultânea.
É importante que o médico mantenha os dados pessoais completos do paciente atualizados no REREME, com informações sobre a compatibilidade e a doença com indicação de transplante. Também é responsabilidade do médico assistente atualizar a condição do paciente e sua evolução enquanto aguarda o transplante. Isso evita que a pessoa que necessita de uma nova medula perca a chance de ter um doador compatível localizado.
Fonte: Redome

terça-feira, 18 de setembro de 2018




Aisha é de Pelotas - RS e tem 20 anos. Faz seis meses que fez seu transplante de medula na Unidade Pietro Albuquerque no ⁦Instituto de Cardiologia do Distrito Federal,⁩ em Brasilia. Hoje encontrei este anjo aqui em Porto Alegre. Alegria sem medida!

Rede REDOME envolvida na atualização de cadastro do doador



O REDOME convoca toda sua rede de colaboração, principalmente hemocentros, e as ONGs envolvidas na conscientização de doadores, para disseminar a necessidade da atualização de cadastro durante o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea.
A data é celebrada mundialmente e ações de conscientizações sempre são realizadas em vários países em prol da doação de medula óssea. Saiba mais sobre a data em: https://worldmarrowdonorday.org/

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Hospital de Clínicas de Porto Alegre tem novos equipamentos para transplante de medula

Divulgação
Entre as atividade da 9ª Semana de Mobilização Nacional para a Doação de Medula Óssea, o autor da Lei Pietro, Beto Albuquerque, esteve no Hospital de Clinicas de Porto Alegre, para visitar o Centro de Transplantes de Medula. Beto foi conhecer os dois novos equipamentos para transplante de medula que foram adquiridos através de emendas ao Orçamento Geral da União de 2014, no valor de R$ 530 mil, destinados por durante seu mandato de deputado federal. “Um equipamento faz a contagem exata de remédios utilizados pra cada paciente! Medicamentos caros que precisam ser administrados na dosagem certa para evitar intoxicação. O outro, de Fotoaférese, é fundamental no pós transplante. Ajuda a resolver a doença do enxerto contra o hospedeiro, diminuído tempo de internação, reduzindo o número de medicamentos e resolvendo as complicações após o transplante”, explica Beto.
Os equipamentos são equipamentos únicos no Sudeste e Sul do Brasil.